quinta-feira, 6 de julho de 2017

Rolas na Nogueira

Texto e fotografia,Mz



Chegam e poisam na nogueira e, este poiso de rola é namoradeiro e gracioso. Não se assustam comigo e deixam-se fotografar, curiosas, de olho brilhante também elas me espreitam. Quietas, esperam que eu me afaste. Eu acho-as ternurentas, fazem-me lembrar o meu avô que não só plantou a árvore, como adorava os pássaros soltos, livres. E quando eu me indignava com as pessoas na aldeia que prendem os cães com correntes, ele logo me dizia que na cidade, as pessoas têm os pássaros em gaiolas.


sábado, 1 de julho de 2017

Julho cheio de cor

 Texto e fotografia,Mz



Estrada nº1 Lisboa - Porto, com paragem obrigatória.
É sem dúvida, hoje, a cidade mais colorida de Portugal, Águeda - a linda. Numa tentativa de dinamizar  a economia local, esta foi, uma ideia de sucesso, simples, económica e visualmente apelativa que acolhe pessoas do mundo inteiro para esta explosão de cor, com o rio a acompanhar.

A baixa, é de ruas estreitas, antigas judiarias, com uma arquitectura bem portuguesa e, bem cuidada. Cidade natal de Manuel Alegre, político e poeta - prémio Camões. 
Adoro.


terça-feira, 27 de junho de 2017

Presente do Céu.


Texto e fotografia,Mz


Entre as 21:00 e as 21:30 sem filtros, este céu espantoso 
e, a passagem da Lua Nova para Quarto Crescente.

domingo, 25 de junho de 2017

Porto, Portugal

Texto e fotografia,Mz


A festa do olhar é nas casa encavalitadas e coloridas, é no porte majestoso dos monumentos, é na pedra, é no rio, é nas embarcações e nas pontes.  
É a chancela da arquitectura e paisagem portuense.

É a cidade cidade do Porto noutra perspectiva; 
do teleférico de Gaia,
 Gaia ao Mosteiro da Serra do Pilar. 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Solstício de Verão 2017

Texto e fotografia,Mz


A celebrar o dia mais longo do ano com borboletas no jardim,
exaltando a beleza e a vida e,
 pensando também,
no quão curta elas podem ser.

Um minuto de silêncio


Texto e fotografia,Mz



Na sequência da maior tragédia dos incêndios em Portugal 
Pedrogão Grande, 
um minuto de silêncio


terça-feira, 13 de junho de 2017

Santo António, festa de amigo.

Texto e fotografia,Mz



Fui ao largo de bicicleta, levei um vestido estampado, um fundo azul com pezinhos de cereja, calçada com sapatinhos de dança, aqueles de fivela sobre o peito, do pé pois claro, que no outro, onde cabe o coração, nesse peito, tenho laços. De ti, tenho fé, ternura e devoção, oh meu rico Santo António. O ano passado, perdi-me na água fresca, naquela bica com o painel de azulejo e nem te escrevi de tanto te ver ali. Por isso, resgato este hábito de te exaltar nas palavras, numa tentativa redentora,  a forma escrita de que são feitas as cartas. E, nesta minha terrena alegria de quem vai à festa de um amigo, deixo-te cravos verdadeiros do meu quintal, sem quadras nem manjericos.

Boas festas.

domingo, 11 de junho de 2017

Fresco agitar

Texto e fotografia,Mz



Os arrozais estão assim; frescos, jovens, tenros, como se o sol não escaldasse ontem, como se a terra não chore por água noutros cantos. Aqui, ainda madrugada, nesta hora já dia de sinos quietos, a claridade desperta quem dorme sem sobressalto, mansidão quieta num afagar de pernas e almofadas quentes do sono. De andar ligeiro, vim aqui eu, agitar, este branco esvoaçar.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Lua Cheia de Junho


Texto e fotografia,Mz

Como uma aguarela em tons de azul,
 não resisti a esta "quase" lua cheia de Junho, 
que será plena,
 apenas amanhã.


(fotografada hoje pelas 21h:32m e 21h:33m)

terça-feira, 6 de junho de 2017

Uma ilusão

Texto e fotografia,Mz



É feio ao primeiro olhar, o mundo brutal de fungos e bactérias decompositores da biosfera. Fumarola de gases putrefactos que repelem por natureza e nos afastam deste monte deformado. Mas vejam como o pensamento pode transformar-se colocando a lente no lugar certo, o foco nos fungos azuis. Generalizando, os eternos e mágicos cogumelos num reino de ilusão. Matéria bruta para inspiração de ilustradores e escritores do mundo encantado das histórias que adormecem crianças. Uma realidade que alimenta  sonhos pequeninos. Uma ilusão.