segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Por um fio.


Não me dou com a monotonia dos dias nem com a monotonia do pensamento. Por isso, louvo a natureza em mudança permanente e o levantar de vozes manifestando o que querem e o que não querem para este país. Ainda que lutem pacificamente e sem resultados, erguem palavras em cartazes e marcham seguros. Sem querer, abafam o estalar das folhas secas esmagando a beleza deste outono porque de momento, estão cegas de indignação. E as folhas por um fio, aquelas que restam penduradas, querem desprender-se e gritar.
- Acordai! Voltaremos na próxima Primavera.


Mz


O Cair da Folhas
Imagem: David Lorenz Winston

20 comentários:

Gisa disse...

A volta sempre é um consolo.
Um grande bj

Mz disse...

É esperança, Gisa.

Bj**

Rui Pascoal disse...

A primavera já foi e o verão também... agora tento aproveitar ao máximo o outono enquanto o inverno não chega.
Como eu invejo a natureza...

Mz disse...

Todos invejamos um bocadinho de qualquer coisa...

manuela baptista disse...

e acordemos sempre de maneira diferente

da indignação à imaginação, à ousadia
como a natureza, a nossa e a das folhas

por um fio, tem duas imagens que eu gosto


um abraço, Mz

Mz disse...

Tanta coisa por um fio...

Um abraço

✿ chica disse...

Muito lindo!Bela participação!beijos,chica

Mz disse...

:)

Catsone disse...

Isso, no fim, é uma incitação? Bora lá fazer uma primavera (quase) árabe?

Mz disse...

Estava a ver que ninguém descobria essa pequena mensagem ;)

Marta disse...

Um bravo para as tuas folhas e palavras de Outono ;)

Mz disse...

;)

Lilá(s) disse...

Muito belas as tuas palavras, e conta comigo para participar nessa Primavera...
Bjs

Rafeiro Perfumado disse...

Eu preparo-me para o Inverno que aí vem, esperando que isso leve os ursos que nos governam a hibernarem. Beijoca!

Mz disse...

Lilás, eu e muitos de nós contamos contigo.

Bjs

Mz disse...

Rafeiro, ursos destes hibernam, mas de 40 em 40 anos mais coisa menos coisa voltam. É preciso estarmos atentos.

Bjcs

Utópico disse...

As folhas dependuradas nos braços que caminham ao longo da rua, marchando em protesto, bem que podem cair, que logo outras se erguerão enquanto a teimosia da incompetência perdurar, não deixando assim que o outono se instale.

Mz disse...

E a rua receber-nos-á sempre para evocar uma Primavera.
Força!

Pedrasnuas disse...

E o outro senhor tinha razão...mudam-se os tempos, muda-se a vontade, muda-se o ser...e que a mudança seja para melhor...pelo menos dentro de nós...é urgente desprender-se e voar...:)

Mz disse...

Vista dessa forma toda a mudança é subjectiva;)